Dicas da Veveta – Textos e Vídeos

Otite – uma das doenças mas comuns dos nossos pets

As principais causas são:

Orelhas pendulosas como as das raças cocker, basset hound,old english sheepdog, fila brasileiro, cavalier), abafam o canal auditivo, favorecendo condições ideais crescimento bacteriano.

Orelhas eretas como as das raças pastor alemão, boxer, cane corso, dogo argentino, ameriacan pit bull, bull terrier, scott, husk siberiano, malinois, akita , aos animais que tem por hábito ficar na chuva e sereno favorece a entrada de água.

Excesso de pêlos na porção interna do pavilhão auricular como nas ração poodle, lhasa apso , Shitzu, schnauzer, pode manter umidade e dificultar a limpeza que favoreçam o crescimento bacterian

Traumatismos: uso inapropriado de cotonetes ou objetos pontiagudos, ou ainda acidentes.

Parasitas: pulgas, carrapatos, ácaros de sarna,falta de higiene do animal ou do ambiente.

Alergia alimentar e seborréia também causam coceira por todo o corpo do animal, inclusive ouvidos.

A principal manifestação da otite é a coceira nas orelhas e condutos auditivos, secreção nos ouvidos de coloração amarelo ou escura e odor ruim.

Diante de todas estas possibilidades, somente o médico veterinário é capaz de diagnosticar corretamente a doença, muitas vezes sendo necessário realizar de exames laboratoriais como avaliação microscópica, cultura e antibiograma e, até mesmo, raio x .

É um erro o proprietário auto medicar seu animal, porque possibilita a cronicidade da doença e a resistência aos antibióticos.

A prevenção pode fazer toda a diferença, como por exemplos:

  • Evitar natação e banhos sem proteção auricular,
  • Evitar permanência na chuva/sereno.
  • Visitas frequentes ao médico veterinário.
  • Perguntar ao profissional de estética se econtrou algum problema durante o banho.

Sendo assim, se o seu animalzinho apresentar quaisquer alterações onde se suspeita de otite, consulte seu médico veterinário antes de qualquer intervenção.

 

 


7 Dicas para Viajar com seu cão de carro

1 – Se o seu pet costuma enjoar na viagem procure não alimenta lo 6 horas antes, e nas paradas de descanso ofereça cubos de gelo ao invés de agua, assim evita o vômito.

2- Se a viagem for superior a 3 horas, faça parada de descanso e ofereça água fresca e deixe o andar um pouco.

3- Nunca deixe-o com a cabeça para fora, assim evitará úlcera de córnea e otite, além dos riscos de acidentes com motociclistas.

4- Raças como shitzu, bulldog, pug, precisam que o ar condicionado do carro esteja com temperatura baixa, assim evita a hipertermia.

5- Verifique as vacinas se estão atualizadas.

6- Visite seu veterinário para a escolha do antipulgas.

7- Se a viagem for para outro estado, é necessário um atestado de saúde, ou guia de trânsito animal realizado pelo veterinário, e a validade é de 10 dias. Se você for ficar mais de 10 dias será necessário fazer um outro atestado para retornar da sua viagem.

Boa viagem!


Doença das Cadeiras dos Cães – Displasia Coxo femural

A displasia coxofemoral é uma doença multifatorial com alto índice de hereditariedade, que acomete várias espécies de animais, sendo mais freqüente em cães de porte grande e gigante como Pastor Alemão, Rottweiler, Labrador, Fila Brasileiro, São Bermnardo.

É caracterizada por diferentes graus de comprometimento da articulação do quadril. O exame radiográfico diagnostica, poré, pela presença de dor e aliado técnica a ser empregada muitas vezes o animal deverá ser anestesiado ou sob sedação profunda, para impedir que a musculatura pélvica exerça força contrária à promovida durante o posicionamento da radiografia.

A Prevenção da displasia coxofemoral é realizada através de um rigoroso controle dos reprodutores escolhidos na criação, devendo ser utilizados na reprodução apenas animais adequadamente radiografados e classificados com graus A, B de preferência .

Ao escolher um cão de raças grande e gigantes peça ao canil o controle de displasia dos pais.